domingo, 16 de dezembro de 2007

Para a minha mãe

Sou um filho, nem sempre o melhor
Mas, espero que vejas que não sou o pior
Porque todos os dias penso em ti
E a minha vida nada seria sem o teu apoio
Por isso escrevo-te um simples poema
Uns versos para te levarem a tristeza

Foste desde cedo a minha estrela
O meu Bem, e o meu modelo
Nunca consegui mostrar por completo
O quanto tornas o meu mundo belo
Quantas vezes não pensei em ti
Quando a vida era incerta

Agora precisas de mim
E eu sei que veremos nisto um fim
Deixa-me ser a tua base de apoio
A estrela que sempre me foste
Está na altura de eu a ser
E ajudar-te a compreender
Que apenas precisamos de quem está aqui
Para se ser feliz

Fui injusto e egoísta no passado
Mas, espero que compreendas que não se repete
E que de aqui para agora a minha devoção não desaparece
Que te darei asas para que do passado te libertes

São promessas de um jovem
Mas, mais genuínas não existem
Sou teu filho e do teu lado não saio
Por isso podes dormir esta noite descansada
Porque por mim és amada

Deste-me vida e sonhos
Quero dar-te amor e esperança
Talvez um pouquinho de preseverança
Mas, quem espera sempre alcança
E sei que um sorriso verdadeiro
Um dia voltarei a vê-lo

E numa nota de rodapé
Prometo ser fiel enquanto viveres
Porque temos um laço para além da vida
Um compromisso para além da fé
E enquanto como teu filho me reconheceres
Eu por ti vou lutar
Até o mundo acabar

Um comentário:

ynês disse...

de certeza que te sente do lado dela, stay there :)