sábado, 5 de janeiro de 2008

Cadavrae Exquis- Salvator del Grecco e Aleksis Stepanikov

Vagueio na noite escura em busca de uma direcção, algo que me diga aquilo que quero ouvir...Ouvidos são paredes surdas que gritam bem alto para ninguém ouvir.
Som sónico. Perco-me em palavras.
A divisão em que vivo enche-me de pensamentos surdos, sou um vagabundp de palavras, e perco-me nos distritos do pensamento.
A rainha das sombras, é o pensamento monótono da alma que já não tenho.
Desesperado, quero-te encontrar...Sonho alto, pés continumam bem assentes no chão...Não sei bem como te procurar...olhos erguidos para a lua, ritmo cardíaco silencioso...Já não estás comigo, já não tenho sentido da vida, vêm a mim lua isolada do mundo, penetra o meu pensamento...encontra-me...
Procura-me nas avenidas. Grita-me nos corredores.
Tenho vinte e cinco no bolso, e um nos lábios, chama imprecisa toca o ritmo das minhas veias enquanto te espero.
Sinto o isolamento, sinto a pressão, mágoas são sabores amargos no céu da boca.
Papilas gostativas, pervertem o meu funcionalismo cerebral, máquina ruidosa silencia as minhas reflexões amargruadas pelo cursod a vida...Estagnados estão os que pensam em décibeis...
Cordas vocais roucas, na manifestação de corações do meu mundo, gritos da sociedade insincera.
Levanto-me e ando milhas no meu quarto, tentando mudar o mundo. Sou voz perdida, sou o militante sem nada a defender.
Líder defensor de uma causa lutando contra a corrente de ignorantes, idiotas sem rumo não reconhecem verdadeiros heróis, but rememebr this: Os verdadeiros heróis não se vêm em retratos, os verdadeiros heróis são todos aqueles que pensam e lutam até ficarem sem voz...
A voz da alma.

Um comentário:

Andreia disse...

Há que tempos estava à espera para ler isto outra vez. Devia estar no vosso blog comum =)

*